Você sabe o que é ser um evangelista?

A palavra “evangelista” é um substantivo presente no Novo Testamento derivado do verbo grego euangelizomai, que significa “trazer boas-novas”, “anunciar boas-novas” ou, basicamente, “evangelizar”, “pregar o evangelho”. No Antigo Testamento, o termo equivalente seria o hebraico mebasser, utilizado, por exemplo, no livro do Profeta Isaías (40:9; 41:27; 52:7), denotando o mensageiro portador de boas-novas. Já no Novo Testamento, esse verbo é bastante comum, sendo aplicado a Deus (Gl 3:8), a nosso Senhor (Lc 20:1), aos Apóstolos em suas viagens missionárias, bem como aos cristãos comuns da Igreja (At 8:4).

Focando “evangelista“, podemos encontra-lo apenas três vezes em todo o Novo Testamento:

No livro de Atos (At 21:8) o substantivo evangelista é atribuído a Filipe, chamado de “Filipe, o Evangelista”.
Na Epístola de Paulo aos Efésios (4:11), a palavra é citada na lista de oficiais fornecida por Paulo.
Na Segunda Epístola de Paulo a Timóteo (4:5), onde Timóteo é exortado a desempenhar a obra de um evangelista.

O que um evangelista faz?
A função principal do evangelista é apresentar as pessoas a Jesus, mostrando o caminho da salvação. Através de conversas ou pregações, o evangelista explica sobre o pecado, a necessidade de salvação e como Jesus veio para nos salvar. O evangelista ajuda as pessoas a tomarem um passo de fé e entregarem suas vidas a Jesus.

O trabalho do evangelista deve ser apoiado pelo resto da igreja. A conversão é apenas o primeiro passo. Cada pessoa que se converte precisa ser integrada na comunidade cristã e ser ensinada a viver para Jesus (Mateus 28:19-20). E isso não é responsabilidade do evangelista, é responsabilidade de todos.

Um evangelista também pode ter outros dons. No Novo Testamento, um seguidor de Jesus chamado Filipe era conhecido como evangelista. Além de levar muitas pessoas a se converterem, Filipe também tinha o dom de servir, realizar milagres e curar doentes (Atos dos Apóstolos 8:5-7).

 

O que é preciso para ser um evangelista bem sucedido?

Em Atos 5 lemos que os apóstolos estavam diante do Sinédrio que desejava matá-los por estarem evangelizando. Então, Gamaliel toma a palavra e cita os seguidores de um tal de Judas e os de Teudas que se dispersaram, logo após a morte de seus “’mestres”. Ele alega que aqueles movimentos “não deram em nada” ARA. Então, Gamaliel aconselha o Sinédrio a deixar os apóstolos em paz com seu evangelismo em Jerusalém, alegando que se aquilo fosse de homem não daria em nada, mas se fosse de Deus ninguém poderia impedir. Interessante percebermos que em João 21 Pedro e outros discípulos parecem um pouco dispersos também, mas o Jesus ressurreto lhes aparece e os encoraja a um compromisso com sua obra.
Então, temos dois fatores importantes para um evangelista ou missionário ir adiante e “não acabar em nada”:

1º: O evangelista precisa de intimidade com o Senhor para que sua obra seja a obra de Deus;

2º: O evangelista precisa se comprometer com o Senhor. Para ser um evangelista ou missionário bem sucedido ele precisa ser um cristão comprometido com Deus e com sua obra. Os discípulos de Judas e Teudas nos lembram que sempre existem os empolgados, são animados a princípio, mas que logo desanimam e sem saber no que estavam “entrando” acabam dispersos, acabam dando em nada.

O cristão comprometido continua trabalhando mesmo quando as condições não são favoráveis, o que é só empolgado trabalha no começo, mas logo para diante das dificuldades.
O cristão comprometido continua compartilhando o evangelho mesmo quando não está em um evento evangelístico ou missionário. O que é só empolgado prega somente nos projetos de evangelismo e eventos evangelísticos da igreja.

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*